Arquivo da tag: Pilates

PILATES NA REDUÇÃO DE DOR NAS COSTAS

O Método Pilates é uma manifestação de atividade física que, segundo seu criador, faz a integração de corpo, mente e espírito. Os trabalhos de mobilidade articular que encontramos facilmente nos exercício de Pilates ajudam diretamente na redução de dores em algumas regiões do nosso corpo. Com base no Pilates tradicional podemos dizer que este Método deu início com 32 exercícios inspirados basicamente na prática da Yoga.

As dores na região baixa das costas ou melhor dizendo dores lombares, afligem muita das vezes pessoas que trabalham com transporte de carga, pessoas que trabalham muitas horas do dia de pé e/ou sentado. O Pilates ajuda na redução destas dores.

Segundo pesquisas a prática de exercícios de Pilates de 2 a 3 vezes por semana ajudam na redução das lombalgias causadas pelo corre-corre da sociedade atual. Busque a prática do exercício físico para melhorar não apenas sua saúde física, mas também a saúde mental.

Então, reduza suas dores nas costas com apenas 4 dicas de exercícios de Pilates:

1- The Bridge (Ponte) – é a elevação do quadril mantendo sua mobilidade tanto ao elevar o quadril quanto ao desce-lo.

Pilates - the bridge fase1
Fase 1 – coluna posicionada em neutra (manter as curvas fisiológicas da coluna) no solo.
Pilates - the bridge fase 2
Fase 2 – elevação mobilizando o quadril.

2- The Cat (Gato) – este movimento lembra a movimentação de arrepiar que os gatos realizam, por isso o nome The Cat.

Pilates -  The Cat fase 1
Fase 1 – manter-se em 4 apoios com a coluna posicionada em neutra.
Pilates - The Cat fase 2
Fase 2 – arrepiar a coluna mobilizando o quadril e o pescoço.

3- Spine stretch (alongamento de coluna) – manter-se sentado com as pernas estendidas, evitando que flexione. Manter as curvas naturais da coluna.

Pilates - spine strech fase 1
Fase 1 – sentado com pernas estendidas e a coluna posicionada em neutra.
Pilates - spine strech fase 2
Fase 2 – Alongar a coluna alcançando o máximo de distância que seu corpo permitir.

4- Single Leg stretch (alongar perna unilateral)

Pilates - single leg stretch fase 1
Fase 1 – mantenha o tronco elevado, segure uma das pernas e a outra estendida.
Pilates - single leg stretch fase 2
Fase 2 – repetir a fase 1 trocando a perna que está abraçado.
OBS exercício 5: Caso sinta incômodo no pescoço, realize o exercício com o tronco no solo.

Mantenha sempre a qualidade nos movimentos, não só os de Pilates, o abuso na sobrecarga pode atrapalhar a qualidade na execução. Trabalhe sua respiração ao máximo, tanto a inspiração quanto a expiração, não economize! Tente trabalhar com duas respirações em cada fase dos movimentos apresentados, NÃO EXAGERE NAS REPETIÇÕES!

Enfim, pratique e diga adeus as dores nas costas.

LEMBRANDO, NESSE POST SÃO APENAS DICAS! MAIORES INFORMAÇÕES, PROCURE UM PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA OU FISIOTERAPIA HABILITADO À LECIONAR O MÉTODO PILATES.

Então, gostou de nosso artigo? Aproveite e deixe seu email na barra lateral a direita, será um prazer enviar-lhe novas dicas sobre saúde e qualidade de vida.

Fabio LamegoFabio Lamego é professor de Educação Física com seis anos de experiência na área da saúde, tem seu enfoque nas atividades de melhoria da saúde como o Método Pilates. Gosta de atividades ao ar livre e curte viagem, praia e sol, ah, se for os três juntos é melhor ainda!

PILATES E QUALIDADE DE VIDA

Por muitos anos, médicos, principalmente ortopedistas, indicavam a prática de exercícios físicos na água nos casos de patologias como a artrose, osteoporose e dor lombar, por acreditarem em sua eficácia na redução de impacto. Através de relatos do cotidiano podemos perceber mudanças nestas indicações.

Pilates de solo
Foto: A buen entendedor/flickr.com

No presente momento a procura pela prática do Método Pilates vem crescendo a cada dia, pois tem-se observado uma grande melhoria nestas patologias que se agravam a cada dia em nossa sociedade.

Vem surgindo a todo o momento estudos que comprovam a eficácia de uso do Pilates com o intuito de justificar suas melhorias.

Estudo mostrou que em mulheres portadoras de câncer de mama, a prática de Pilates três vezes por semana durante oito semanas, melhorou a capacidade funcional, a fadiga, a depressão e a qualidade de vida. Sendo assim, podemos aceitar a eficácia desta prática de atividade física, mas devemos buscar mais evidências destas melhorias.

Síndrome do piriforme

Dor de ciático
Foto: quiropraxiaclinica/flickr.com

É uma manifestação de dor que acontece quando o nervo ciático está sendo comprimido. O tratamento desta síndrome pode ser realizado de várias maneiras. Pode ser feito através do uso de medicamentos como por exemplos a toxina botulínica, bastante usada em tratamentos estéticos. Algumas outras formas de tratamento são através de exercício físico, alongamento e mobilidade articular da região do quadril, sendo assim, o Método Pilates agrega grande valor nestas outras formas de tratamento por estar englobado nas três vertentes.

 Flexibilidade

A prática de Pilates está diretamente ligada com o aumento da flexibilidade em pessoas saudáveis. Pesquisas mostram que há melhora na flexibilidade em indivíduos que praticam Pilates em nível básico. Neste, foram acompanhados 32 indivíduos com treinos de uma hora por semana em um período de 6 meses.

Pilates na melhoria da flexibilidade
Foto: Vê Carvalho/flickr.com

O aumento da flexibilidade está diretamente ligado à melhora da qualidade de vida e bem estar, mas para que haja essa melhora significativa, a prática da atividade física tem que ser orientada por um profissional habilitado para evitar o risco de lesões.

Coluna vertebral

Pilates na redução de dor da coluna
Foto: ullyflores/flickr.com

Estudos apontam que o Método Pilates, quando utilizado com base em seus fundamentos, auxilia diretamente na reabilitação, aumentando não só a força muscular na pós-reabilitação, mas também na correção da postura corporal, tendo um grande foco de melhoria de lombalgias. Sendo esses benefícios identificados independente de idade.

Em um estudo realizado com universitárias que apresentavam dor crônica na coluna por causa de escoliose não estrutural, onde foram submetidas a 24 sessões de Pilates, duas vezes por semana com duração de 60 (sessenta) minutos por sessão, demonstrou redução significativa no quadro de dor crônica.

           

Com base nos estudos que pude acompanhar, verifiquei que o trabalho com o Método Pilates na melhoria da qualidade de vida tanto em indivíduos saudáveis quanto em pessoas com dores crônicas e sem flexibilidade corporal, ajuda na busca de bons resultados para a melhoria da saúde. Mas esteja sempre amparado por um bom profissional.

Então, gostou de nosso artigo? Aproveite e deixe seu email na barra lateral a direita, será um prazer enviar-lhe novos posts sobre saúde e qualidade de vida.

Fabio LamegoFabio Lamego é professor de Educação Física com seis anos de experiência na área da saúde, tem seu enfoque nas atividades de melhoria da saúde como o Método Pilates. Gosta de atividades ao ar livre e curte viagem, praia e sol, ah, se for os três juntos é melhor ainda!

HISTÓRICO DO MÉTODO PILATES

Foto: Carol Abrantes/flickr.com
Foto: Carol Abrantes/flickr.com

Pilates é um termo utilizado para designar uma modalidade de ginástica, criada por Joseph Humbertus Pilates. “Joe”, como era conhecido, nasceu em 1883, filho de “Fritz”, mecânico que se tornou um grande ginasta, e Helena que acreditava na estimulação corporal para a cura. Acredita-se que daí surgiu o interesse de Joe para a abordagem da saúde. Joseph era apelidado por seus amigos como “Pôncio Pilates”. Ele teve muitos problemas de saúde como asma, raquitismo, febre reumática. Atordoado com tantas dificuldades ele se dedicou aos estudos, estudava Yoga, Zen Budismo, regimes Gregos e Romanos, então buscou a prática do exercício físico para se defender. Com 14 anos de idade posava para quadros de anatomia por ter um corpo magro e altamente definido. Das práticas esportivas, praticou inúmeras, e nesta época tornou-se especialista em cultura física.

Na primeira guerra mundial, por ter ele nacionalidade Alemã, foi preso em uma turnê circense em Londres e mandado aos campos de concentração. Lá começou a ajudar nos cuidados dos enfermos e mutilados da guerra, tendo ele uma única condição, não poderia retirar enfermos da cama, por esse motivo passou a utilizar molas de camas e equipamentos velhos para auxiliar na mobilidade e fortalecimento destes enfermos.

Gypsey/flickr.com
Foto: Gypsey/flickr.com

Seus exercícios passaram a ser reconhecidos como técnica por não ocorrer morte em nenhum dos pacientes daquele campo de concentração no período de grande epidemia de Influenza no fim da guerra.

O método criado por Joseph era chamado por ele de “Contrologia”, sendo este a forma mais tradicional da prática do Pilates na atualidade. Esta prática tem seus fundamentos, que são 7: movimento, controle, centralização, concentração, fluidez, precisão e respiração.

Podemos concluir a importância da qualidade de execução dos movimentos não deixando que a quantidade interfira na qualidade, não só durante o exercício físico, mas também durante as atividades da vida diária.

Pilates dizia que: “Se o indivíduo com 20 anos de idade está encurtado, é um velho. Porém se tem 60 anos e tem flexibilidade e força é um jovem.” Esta afirmação feita por ele deixa clara a sua preocupação com o bem estar e a saúde. Mostra que a idade não é nenhum limitador para o corpo, mas sim a falta de movimentação corporal.

Sendo assim, recomendo que experimente conhecer este fascinante método na prático.

flickeando2010/flickr.com
Foto: flickeando2010/flickr.com

Hoje, não só no Rio de Janeiro, mas no mundo podemos encontrar estúdios que ofertam aulas experimentais, totalmente gratuitas, que lhe permitem conhecer este método e seus exercícios. Os preços podem variar de acordo com os horário, quantidade de alunos por turma, dias de prática e a localização do estúdio.

Criado com intuito de recuperar pacientes debilitados, hoje o método Pilates tornou-se um ícone por trabalhar o corpo como um todo, respeitando a especificidade de cada indivíduo, independentemente de seu estado físico e emocional.

Texto com base no livro: Contrologia: o Método Pilates original. 2010. Professor Sérgio Ribamar.

Então, gostou de nosso artigo? Aproveite e deixe seu email na barra lateral a direita, será um prazer enviar-lhe novos posts sobre saúde e qualidade de vida.

Fabio LamegoFabio Lamego é professor de Educação Física com seis anos de experiência na área da saúde, tem seu enfoque nas atividades de melhoria da saúde como o Método Pilates. Gosta das atividades ao ar livre e curte praia.